quarta-feira, outubro 31, 2007

Hurtmold

Eu estava esperando como sería mais uma etapa do Hurtmold, surpresa ou decepção? Ou confirmação? Tenho observado os comentários tecidos ao longo do ano sobre o grupo, infelizmente a maioria da mídia independente carece de um amadurecimento na análise empírica musical. Os músicos estão na tenra faixa etária dos 20 e tantos anos, muitas possibilidades podem se concretizar em termos de amadurecimento musical. Fora das comparações e termos muitas vezes imprecísos sobre o grupo, eles estão caminhando e incorporando novas experiências em seu trabalho. Uma questão que é extremamente positiva, é que a música instrumental brasileira se renova por um caminho até subestimado, o rock independente. O pessoal do Hurtmold não possui a erudição técnica tradicional, lhes livrando de um certo ranso produzido por músicos provenientes dos meios ortodóxos da música instrumental. Isto dá um frescor musical que se aliado ao domínio maior em relação à composição, instrumentos, gera resultados positivamente surpreendentes. É um disco agradável, ainda ecoam citações referenciais em pontos positivos e alguns nem tanto. Mesmo que a evolução musical do grupo ocorra em progressão aritmética e não geométrica, é um grupo à se observar atentamente no tempo que se segue.

Um comentário:

ale disse...

Rubinho, mano, to longe, mas to sempre dando um bico no que cê anda escrevendo por aqui e pra tentar saber como vc tá...para tudo! vou te mandar um e-mail. ale

 
 
Studio Ghibli Brasil