domingo, julho 31, 2011

Ethnic Heritage Ensemble - Three Gentlemen From Chicago (1981)

Moers abriga desde 1972, um dos principais festivais de música e a organização do evento criou um selo para registrar grandes artístas, como foi o caso do primeiro disco do Ethnic Heritage Ensemble, liderdado por Kahil El' Zabar, um dos mais brilhantes músicos, percussionistas e compositores ousados da música afro americana e mundial. Como tinha descrito anteriormente, é um dos poucos percussionistas que consegue imprimir uma forma realmente criativa unida de técnica no set de bateria como baterista e percussionista no set de instrumentos de percussão variados, pois a maioria dos percussionistas infelizmente não conseguem desenvolver de forma realmente eficiente e criativa, suas qualidades num set de bateria. Muitos aficcionados podem discordar, mas independente de suas ótimas qualidades como percussionistas, diversos exemplos não conseguem desempenhar a função de um baterista e acabam tratando a bateria, como um set de percussão (não que a bateria não seja, mas o set de bateria acabou se tornando um instrumento único). Não vem ao caso falar sobre nomes, até para evitar um conflito inútil por conta de paixões pessoais, então me reservo em dizer que um dos que realmente possui as duas qualidades distintas, são Kahil El' Zabar, Hamid Drake, entre estes poucos.
Three Gentlemen From Chicago conta com a presença de Henry 'Light' Huff que nos presenteia com o seu exímio talento nos saxofones soprano, tenor, barítono e clarinete baixo. Infelizmente e injustamente Huff é pouco lembrado e partiu discretamente em 1993. Clique na imagem para acessar o arquivo.

Um comentário:

fabricio vieira disse...

O ‘Light’ Henry Huff é mais um daqueles injustamente raramente citados... Quando a cantora Dee Alexander esteve no Bridgestone, em 2010, conversei com ela, que falou muito no Huff. Frases dela:

"‘Light’ Henry Huff foi meu mentor (...) e ter trabalhado com ele me deu grande compreensão da improvisação jazzística e da liberdade dessa música. Huff foi minha maior influência, ele me ensinou a ser desinibida, não me preocupar com o julgamento das pessoas e agarrar as oportunidades."

 
 
Studio Ghibli Brasil