terça-feira, março 13, 2012

Nuclear Assault – The Early Demos 84-85 (2010)

Ainda me lembro quando o lp Game Over foi editado no Brasil com pouco menos de um ano de atraso em relação ao lançamento oficial. Sem dúvida está entre os meus grupos favoritos de thrash metal e o Nuclear Assault sempre teve um vinculo com o hardcore na sua sonoridade, sendo muito próximo do estilo denominado crossover, que se tornou conhecido pelo grupo D.R.I.. Inclusive posso fazer uma analogia do Dirty Rotten Imbeciles com Ornette Coleman. Como?! Deixando de lado o elitismo musical detestável que foi imposto por aí, lançando fora as inúteis diferenças estilísticas, tudo é música, seja boa ou ruim e mesmo assim o que é bom ou ruim é pessoal e relativo. Assim como o título do disco de Ornette Coleman, Free Jazz, se tornou um rótulo de um estilo musical dentro da música feita na América do Norte nos anos 60, Crossover do D.R.I. também se tornou um rótulo na música feita na América do Norte nos anos 80.
Com certeza o Nuclear Assault influenciou e modificou significativamente o cenário heavy metal mundial assim como no Brasil. Tanto que teve grande influência num grupo que foi o divisor de águas de todos os tempos, o Sepultura. Não é por acaso que a tipografia do disco Schizophrenia, lançado no fim de Outubro de 1987, é a mesma de Game Over do Nuclear Assault de 1986. Schizophrenia foi a grande mudança do Sepultura em relação aos trabalhos anteriores, o split album Bestial Devastation e o lp Morbid Visions, com sonoridade voltada ao death metal tradicional, para a sonoridade mais thrash metal, com influencia do hardcore punk. E também se deu uma parceria com o grupo Ratos de Porão, ilustrando efetivamente o termo crossover. E aqui neste bootleg das duas primeiras demo tapes do Nuclear Assault podemos ouvir o início do desenvolvimento de mais um trabalho inovador que sempre teve em sua estrutura, o baixista Dan Lilker, sempre presente nas novas direções do rock mais agressivo, como o Anthrax, S.O.D., Extra Hot Sauce, Brutal Truth e suas ligações importantes com o grindcore. Clique na imagem para acessar o arquivo.

4 comentários:

Namaguideras disse...

Nunca tinha pensado nisso, Rubens! Tanto o D.R.I. quanto o Ornette Coleman "batizaram" supostos subgêneros musicais.
Bem observado, rapais!!!! kkkkk
Provavelmente pela infeliz segmentação que existe na música isso me passou batido... É triste como essa coisa de "tribos", "rótulos", "panelas" etc, nos engessa.
abs
Luiz

fabricio vieira disse...

Tem também o disco "Black Metal", que o Venom soltou em 82, que rotulou outro estilo então nascente.

akirarw disse...

É mesmo Fabricio, tinha me esquecido deste disco. Só que a estética black metal em termos sonoros não era tão definida na gravação do Black metal, embora tenha sido influência crucial ao estilo e até anteriormente com o Welcome To Hell. O sub-gênero death metal veio primeiro e o Hellhammer acabou sendo o grupo que definiu o estilo e o black metal ficou conhecido pelas características musicais do death metal, embora, como disse o segundo lp do Venom é que batizou o estilo, mais pela temática e o Mercyful Fate é incluído no rótulo black metal, mesmo tendo muito mais características da sonoridade NWOBHM. Creio que o heavy metal é o estilo que mais criou sub-gêneros no rock, quando eu era garoto, curtia isso, hoje acho muito confuso...rsrsrsrsrs

fabricio vieira disse...

Concordo com vc, desde moleque achava o Possessed e seu 'Seven Churches' (para citar um exemplo) muito mais representativo do 'black metal' que o Venom. Mas isso tb mais pela temática, porquê o pessoal do metal colocava o Possessed no saco 'death metal'... Agora o Mercyful Fate e seus vocais agudíssimos nunca consegui tragar...

 
 
Studio Ghibli Brasil